Difference between revisions of "Networking/pt"

From Lazarus wiki
 
m (XML)
Line 16: Line 16:
 
==XML==
 
==XML==
  
The Extensible Markup Language is a [http://www.w3.org/ W3C] recommended language created to interchange information between different systems. It is a text based way to store information. Modern data interchange languages such as XHTML, as well as most WebServices technologies, are based on XML.
+
A "Extensible Markup Language" é uma linguagem recomendada pela [http://www.w3.org/ W3C] para a troca de informações entre diferentes sistemas. É um formato baseado em texto de guardar informações. Linguagens modernas de troca de dados, como o XHTML, além da maioria das tecnologia de WebServices, são baseados no XML.
  
 
Currently there is a set of units that provides support for XML on Lazarus. These units are called "XMLRead", "XMLWrite" and "DOM" and they are part of the Free Component Library (FCL) from the Free Pascal Compiler. The FCL is already on the default search path for the compiler on Lazarus, so you only need to add the units to your uses clause in order to get XML support. The FCL is not documented currently (October / 2005), so this short tutorial aims at introducing XML access using those units.
 
Currently there is a set of units that provides support for XML on Lazarus. These units are called "XMLRead", "XMLWrite" and "DOM" and they are part of the Free Component Library (FCL) from the Free Pascal Compiler. The FCL is already on the default search path for the compiler on Lazarus, so you only need to add the units to your uses clause in order to get XML support. The FCL is not documented currently (October / 2005), so this short tutorial aims at introducing XML access using those units.

Revision as of 21:01, 20 November 2005

Deutsch (de) English (en) español (es) français (fr) 日本語 (ja) 한국어 (ko) português (pt) русский (ru) slovenčina (sk) 中文(中国大陆)‎ (zh_CN)

Esta página é o começo de um tutorial sobre programação para redes no Lazarus. Não sou um especialista em programação de rede e escrevo o tutorial enquanto aprendo sobre o assunto. Eu convido outros a ajudarem na criação de artigos de programação para redes. Basta adicionar um link na sessão abaixo, criar uma página e escrever seu próprio artigo da Wiki.

Está página é voltada para informações gerais sobre o assunto.

Outros tutoriais de programação para redes

  • Sockets - TCP/IP Sockets components

Protocolo TCP/IP

XML

A "Extensible Markup Language" é uma linguagem recomendada pela W3C para a troca de informações entre diferentes sistemas. É um formato baseado em texto de guardar informações. Linguagens modernas de troca de dados, como o XHTML, além da maioria das tecnologia de WebServices, são baseados no XML.

Currently there is a set of units that provides support for XML on Lazarus. These units are called "XMLRead", "XMLWrite" and "DOM" and they are part of the Free Component Library (FCL) from the Free Pascal Compiler. The FCL is already on the default search path for the compiler on Lazarus, so you only need to add the units to your uses clause in order to get XML support. The FCL is not documented currently (October / 2005), so this short tutorial aims at introducing XML access using those units.

The XML DOM (Document Object Model) is a set of standarized objects that provide a similar interface for the use of XML on different languages and systems. The standard only specifies the methods, properties and other interface parts of the object, leaving the implementation free for different languages. The FCL currently supports fully the DOM 1.0.

Basic Example

Let´s say you want to access a XML file called 'C:\Programas\teste.xml'. Here is the file content:

<?xml version="1.0"?>
<images directory="mydir">
 <imageNode URL="graphic.jpg" title="">
   <Peca DestinoX="0" DestinoY="0">Pecacastelo.jpg1.swf</Peca>
   <Peca DestinoX="0" DestinoY="86">Pecacastelo.jpg2.swf</Peca>
 </imageNode>
</images>

The following code can write the Node´s names to a TMemo placed on a form:

var
 Documento: TXMLDocument;
 i, j: Integer;
begin
 Documento := TXMLDocument.Create;
 ReadXMLFile(Documento, 'C:\Programas\teste.xml');
 Memo.Lines.Clear;
 with Documento.DocumentElement.ChildNodes do
 begin
   for i := 0 to (Count - 1) do
   begin
     Memo.Lines.Add(Item[i].NodeName + ' ' + Item[i].NodeValue);
     for j := 0 to (Item[i].ChildNodes.Count - 1) do
     begin
       Memo.Lines.Add(Item[i].ChildNodes.Item[j].NodeName + ' '
        + Item[i].ChildNodes.Item[j].NodeValue);
     end;
   end;
 end;
 Documento.Free;
end;

WebServices

Os Web Services permitem a integração entre sistemas e compatibilidade de aplicações. Com esta tecnologia é possível que novas aplicações possam interagir eficientemente com aquelas que já existem e que sistemas desenvolvidos em plataformas diferentes sejam compatíveis. Numa aplicação, cada módulo pode ser de um fornecedor diferente e o usuário monta sua própria solução customizada, e se houver problema em algum módulo ele não afetará o resto do sistema. Eles permitem integrar aplicações, mudar a interface com o usuário e evoluir sem reescrever uma única linha de código.

Para as empresas, os Web Services significam agilidade nos processos e eficiência na comunicação entre cadeias de produção ou de logística. Toda e qualquer comunicação passa a ser dinâmica e principalmente segura, pois não há intervenção humana. É possível formatar regras de negócios e criar fluxos de informações específicas, entre outros recursos que otimizam as relações entre parceiros.

Empresas como IBM e Microsoft, duas das maiores do setor de tecnologia, apóiam o desenvolvimento deste padrão.

As bases para a disseminação dos Web Services chamam-se XML e SOAP. O acesso é via http, mas internamente existe uma string XML que está empacotada em um protocolo SOAP. Este foi criado para padronizar a transferência de dados em diversas aplicações, por isso se dá em XML. O XML é uma espécie de padrão de formatação de arquivos que começou a se popularizar recentemente. Os Web Services são componentes que permitem aos sites enviar e receber pacotes XML. É como se cada portal tivesse sua língua própria, mas algumas informações básicas fossem armazenadas numa linguagem universal, que poderá ser compreendida por qualquer sistema.

Assim, permitem ao programador combinar sistemas existentes de novas maneiras e recombiná-los de formas diferentes para compatibilizá-los com as necessidades dos negócios e ainda mantê-los facilmente. Eles fazem nada mais, nada menos, do que poderia ter sido feito antes, pois não se trata de uma novidade, apenas é um novo conceito, mas agora de uma maneira padrão, segura, fácil de entender e reutilizável.